Não conheço missão maior e mais nobre que a de dirigir as inteligências jovens e preparar os homens do futuro disse Dom Pedro II

sábado, 19 de novembro de 2011

SAÚDE EM SP - @minsaude diz que SP terá consultório móvel para tratar viciados em crack (vamos cobrar)

São Paulo terá consultório móvel para tratar viciados em crack, diz ministro da Saúde


FÁBIO BRANDT
DE BRASÍLIA
O ministro da Saúde, Alexandre Padilha (PT), disse em entrevista ao UOL e à Folha que enviará dinheiro, até o próximo mês, para que a cidade de São Paulo implemente consultórios móveis especializados no atendimento de viciados em drogas.
As unidades --chamadas “consultórios de rua”-- são como “trailers” que funcionarão 24 horas. As equipes, compostas por médicos, enfermeiros e psicólogos, terão autonomia para decidir pela internação involuntária dos pacientes, disse o ministro. “Se o profissional de saúde avaliar que aquela pessoa corre risco de vida, nós temos protocolos claros da internação involuntária, inclusive defendida pela Organização Mundial da Saúde”, afirmou.
O ministro falou sobre o assunto no programa “Poder e Política – Entrevista”, conduzido pelo jornalista Fernando Rodrigues no estúdio do Grupo Folha em Brasília. O projeto é uma parceria do UOL e da Folha.
No Brasil, segundo Padilha, já há 80 consultórios de rua em cidades grandes. São Bernardo, Osasco, Goiânia e Brasília são algumas das cidades pioneiras no projeto, iniciado em 2010
LULA, DILMA E ELEIÇÃO
Padilha falou sobre polêmica suscitada com o início do tratamento que o ex-presidente Lula faz de um câncer na laringe. Para ministro, o plano médico do líder petista deve custear o tratamento porque foi pago regularmente. Mas disse que a polêmica é oportuna para levantar debate sobre necessidade de se melhorar do SUS.
Sobre a participação do PT na próxima eleição presidencial, em 2014, Padilha afirmou que decisão “vai acontecer no momento certo” e que caberá à presidente Dilma conduzir as discussões.
A seguir, trechos em vídeo da entrevista de Alexandre Padilha. Mais abaixo, vídeo com a íntegra da entrevista. A transcrição está disponível em texto.


2 comentários:

psicobloggya disse...

Com todo respeo ao objetivo, que é nobre, mas acho que uma ação desta dependerá de os dependentes químicos desejem ajuda. Como qualquer consultório, o desejo do paciente é que ditará os caminhos de sua desintoxicação. Já existem os Caps-ad para isto... não seria mais producente se houvesse maior investimento neles? Consultórios de rua para viciados podem dar uma conotação de que os caps-ad estão falhando... é só uma questão de vontade política...

Braga disse...

mas não podemos deixar a pessoa ficar usando a droga até morrer. Como fazer?